O sentido da vida | Você é você ou a posição que ocupa em uma organização? - por Fausto Ferreira

O sentido da vida

10 Fevereiro, 2020

Lembrei-me agora da recepção que se fazia, na Roma antiga, quando um general voltava de uma grande batalha, tendo conquistado muitas terras e seus povos. A entrada dele na cidade era triunfal, com os cidadãos espalhados pelas ruas, ovacionando tal ilustre criatura. A partir de um determinado ponto, um escravo, que corria ao lado da biga que o transportava, dizia, repetidamente - "Lembre-se que és mortal". Assim era até que chegavam junto do Imperador.

De saída podemos deduzir, que o fato servia para que o general, não perdesse sua cabeça, confundindo-se com alguém imbatível e acima do bem e do mal. Ele apenas havia triunfado naquela missão e ainda teria muitas outras para comandar.

Faço referência agora a um vídeo de Simon Sinek, em que cita um ex-Secretário de Defesa dos USA, que fora convidado para dar uma palestra, para mil pessoas. Já no palco, com seu copo de café, preparado para falar, olhou para o seu copo de café, saiu do script, e disse - "No ano passado, ainda como Secretário de Defesa, fui convidado para dar uma palestra, nessa mesma conferência. Eles me pagaram uma viagem classe executiva, havia uma pessoa que me levou ao hotel e meu check in já havia sido feito. Na manhã seguinte fui apanhado na recepção e me trouxeram até aqui. Conduziram-me por uma entrada exclusiva até o salão verde e me serviram café em uma linda xícara de cerâmica. Esse ano eu não sou mais o Secretário de defesa, eu vim de ônibus e peguei um táxi até o hotel e eu mesmo fiz o check in. Hoje pela manhã eu peguei outro táxi até aqui. Quando entrei pela porta da frente, encontrei sozinho o caminho para o back stage e perguntei a alguém se havia um café. Uma pessoa apontou uma máquina de café e eu mesmo me servi, nesse copo de isopor, que está comigo. A lição é que a xícara de cerâmica não era para mim e sim para a posição que eu ocupava. Eu mereço um copinho de isopor. Lembrem-se disso, quando vocês ganharem fama, riqueza, cargos e senioridade, as pessoas te tratarão melhor, abrirão as portas para você, te servirão um café ou chá, sem que você tenha pedido, te chamarão de doutor. Nada disso é para você. Aquelas coisas são para o cargo que você ocupa. Você sempre merecerá um copinho de isopor. Lembre-se de agradecer por tudo que aconteceu com você. Humildade e gratidão"

Trazendo para os nossas dias, aqui nos trópicos, vemos muitos militares de diversas patentes e até generais, presidentes e diretores de empresas, políticos, ministros,  prefeitos, governadores e presidentes, que não se dão conta de sua pequenez, que não tem a mínima percepção de que apenas ocupam uma posição e não são aquela posição.

Quando fora daqueles papeis que estavam assumindo ou posições que estavam ocupando, sofrem um choque de realidade ao constatar que os rapapés, cordialidades, benesses a que estavam acostumados, eram de fato para o ocupante e não para ele, hoje uma pessoa comum, como qualquer um de nós. O pior, é que alguns ainda se acham no direito da continuidade das benesses e de serem considerados grandes homens, diferente dos comuns mortais, como nós.

As posições ou papéis que ocupamos, devem ser usadas com o maior escrúpulo e para enaltecer os outros e não a nós mesmos. Sinto, que assim procedendo, nos tornamos livres e merecedores do que conquistamos e poderemos ser lembrados como alguém digno, que deixou uma obra e poderá ser citado na história, se não na história geral, naquela história da comunidade em que viveu e trabalhou.

A humildade é uma qualidade a ser desenvolvida pelos líderes do mundo atual, em grande transformação, que estão extremamente envolvidos na prática de uma gestão participativa e colaborativa. O reconhecimento de nossas limitações e nossas forças, nos tornam melhores e facilita o trabalho, através do envolvimento e da valorização da equipe.

Chat