Educando Positivamente | Disciplina Positiva: uma forma de educar para a vida - por Gabriela Menezes de Camargo

Educando Positivamente

20 Março, 2020

Educar é uma tarefa que exige grande responsabilidade e muitos são os desafios enfrentados por familiares e educadores ao longo dessa grande missão. Pais e professores muitas vezes se vêem desorientados e sem saber o que fazer diante de alguns comportamentos apresentados pelas crianças. 

Primeiramente, é importante compreender que todo tipo de comportamento pode ser explicado por algum sentimento. Assim, quando uma criança apresenta comportamentos como gritar, chorar, bater, morder ou desistir de uma tarefa, ela pode estar tentando demonstrar sentimentos como ciúme, medo, solidão, ansiedade, insegurança, ou pode estar agindo dessa forma por não ter vocabulário para expressar seus sentimentos. Nesse contexto, o papel do adulto será fundamental para auxiliar essa criança a compreender, nomear e desenvolver estratégias para regular as suas emoções. 

Uma das formas de educar crianças incentivando o desenvolvimento saudável de sua autonomia, buscando uma formação integral e contribuindo para o desenvolvimento de competências sociais e emocionais, é a disciplina positiva.

A disciplina positiva foi esquematizada por Jane Nelsen por volta de 1980, e tem por base as teorias de dois grandes psiquiatras: Alfred Adler e Rudolf Dreikurs. Essa abordagem educativa tem o objetivo de encorajar crianças, jovens e adultos, a se tornarem responsáveis, respeitosos, resilientes e com recursos para solucionarem problemas. Essa forma de educar, parte do pressuposto de que a disciplina pode ser ensinada com firmeza e gentileza ao mesmo tempo, sem considerar punição, castigo ou recompensa. Ela também apresenta o meio do caminho entre o autoritarismo e a permissividade. Na disciplina positiva os erros são vistos como uma oportunidade para a aprendizagem.

Para aplicar a disciplina positiva a conexão é um dos pontos chaves, sendo necessário que a criança se sinta aceita em sua família, ou escola, e saiba que é capaz de contribuir. A conexão entre os adultos e crianças deve acontecer antes da correção. Encorajar o respeito mútuo, é outro ponto fundamental. As crianças e adultos precisam se sentir respeitados, assim, quando o adulto é firme ele demonstra para a criança a importância de que ela o respeite e quando o adulto é gentil demonstra respeito pela criança. Envolver a criança no estabelecimento de limites torna-se importante, afinal quando as crianças participam de decisões e tem opções de escolha (limitada e de acordo com as necessidades) ela se sente encorajada. Considerar a efetividade das ações à longo prazo, permite à criança refletir sobre o que é necessário fazer em seu futuro para sobreviver e prosperar, considerando o que ela pensa, sente, aprende e decide sobre si mesma e sobre o mundo em que vive.

A disciplina positiva busca ensinar habilidades sociais e de vida, enfatizando o desenvolvimento do respeito e cuidado com os outros, além de sempre focar na resolução de problemas e cooperação. Incentiva os indivíduos a descobrir suas capacidades e forças pessoais e encoraja o uso construtivo de seu poder pessoal, além de contribuir para o desenvolvimento de sua autonomia. Isso faz com que os cidadãos se sintam felizes e contribuintes para o bem de sua comunidade, possibilitando o desenvolvimento saudável e enfatizando o afeto, a compreensão, o respeito e aprendizado mútuo.

É tempo de florescer!