VITÓRIA DA CONQUISTA/BA

O sentido da Vida | 'Minha vida de inseto' - por Fausto Ferreira

O sentido da vida

10 Agosto, 2018

Outro dia, estava assistindo um vídeo, com o depoimento de um jovem, coreano, de 22 anos, Choi Sung-Bong, que participava de um Programa de Concurso de Talentos.

Ele não tem família. Foi entregue em um orfanato aos 3 anos e, aos 5 anos, fugiu após ter sido agredido. Passou a viver sozinho, como vendedor ambulante. Dormia embaixo de escadas e em banheiros públicos. Ele disse que queria ser apenas normal como as outras pessoas. Nada além disso. Disse que vivia como um day fly (Inseto que vive apenas um dia). 

Imaginem a profundidade disso - Viver e morrer a cada dia, sem perspectiva alguma.

Sua jornada de vendedor ambulante fazia com que andasse muito pelas ruas e, uma vez, passando em frente à uma boate, olhou pela porta e viu um cantor se apresentando no palco. Aquela cena foi para ele tão linda, que o encantou. A partir daquele momento, que havia gostado tanto, disse que que queria cantar. Queria cantar porque foi a primeira coisa que havia gostado na vida. Passado um tempo, após ter conseguido ter algumas aulas de canto, decidiu se apresentar em um concurso de talentos.

A escolha da música, Nella Fantasia ( Ennio Moricone e Chiara Ferrau ), disse tudo.

Primeiro, fiquei chocado com a história dele. Depois fui me recuperando, até chegar ao êxtase, quando ele cantou. Que voz!

Nos últimos tempos, em meus processos de Coaching, deparei-me com quatro casos de superação, que me fizeram declarar o meu maior respeito àquelas pessoas, por terem superado suas pesadas dificuldades pessoais e por serem hoje pessoas fantásticas.

Hoje estão muito bem e as homenageio.

Ah, quantos no mundo, conhecidos ou não, superam suas dificuldades. Esses sim são verdadeiros heróis, não as amorfas celebridades.

Que maravilhoso, ter passado por tanta privação e dar a volta por cima. 

Sim, gostamos de histórias de superação, porque nos identificamos, com um de nós, humanos, contando a própria vida.

Como disse Victor Frankl - "... A única coisa que sobrou é a última liberdade humana. A capacidade de escolher a atitude pessoal que se assume diante de determinado conjunto de circunstâncias." 

Isso só acontece quando, de alguma forma, algo maior nos chama a atenção e nos provoca para a ação. 

É darmos um sentido para a vida, naquele momento. 

Um porque viver.