Inclusão na Prática | Quando a família do aluno não é inclusiva - por Maibí Mascarenhas

Inclusão

28 Março, 2019

"Não vou comprar material para o meu filho, porque ele é autista" - quando a família do aluno não é inclusiva

 

Sim, esta frase acima é uma fama real, vinda de não somente uma família. As palavras neste texto talvez sejam um pouco duras, mas temos que falar sobre realidade antes de chegarmos na esperança.

 

Ainda existe uma quantidade de famílias de crianças com deficiência que, assim como de outras sem deficiência, enxerga a escola como um depósito de seus filhos, sobretudo na educação infantil. Da mesma forma, há algumas que realmente não acreditam nas possibilidades de desenvolvimento acadêmico, social e emocional dos seus próprios filhos.

 

Dói. Como educadora, me dói pela criança, pelos professores, gestores comprometidos e por tudo o que já vivenciamos. Porém, o que fazer,  este caso de compra do material escolar, por exemplo?

 

Faça o seguinte: informe que todo o aluno deve ter material e que, se necessário, ele será adaptado para a criança com deficiência, bem como as demais metodologias. Fale sobre a auto estima, pertencimento,  possibilidades de desenvolvimento e, se nada adiantar, LBI número 13.146. Vá por mim: é a Lei Brasileira de Inclusão. 

 

Material recebido - depois de uma conversa clara, até então,  sempre veio - análise as condições do aluno, faça portfólios, recursos complementares,  por as folhas soltas preenchidas, detalhe as adaptações e crie uma aprendizagem significativa para ele. Mesmo que não grafe todos os exercícios, registre, inclusive por vídeos, seu aprendizado e desenvolvimento. 

 

A sensação de orgulho e satisfação quando entregamos uma apostila colorida, viva e cheia de registros para estas famílias é indescritível. A de ver o aluno se desenvolver e provar para si mesmo o quanto é capaz, é ainda maior.

Chat