Educação em foco l O psicopedagogo institucional e a Educação Infantil

Educação em foco

31 Outubro, 2016

O psicopedagogo institucional e a Educação Infantil

Eu acredito na educação infantil!   Com essa frase, inicio muitas conversas com educadores, professores e até mesmo nas minhas aulas na pós-graduação. Porque gosto desta afirmação? Pelo simples fato que se tivermos uma educação infantil com qualidade, responsabilidade, liberdade, fundamentação e diversão, teremos uma base estruturada para o desenvolvimento infantil.

Na educação infantil acontece tudo, o desenvolvimento psicomotor, o desenvolvimento cognitivo, afetivo e social...quer mais?   A educação infantil proporciona para criança uma vivência com seus pares sem preconceitos, mentiras, falsidades que a criança jamais terá em outras fases.  Na educação infantil a autenticidade dos valores e sentimentos estão à tona.

Dediquei muitos anos de minha vida profissional trabalhando na educação infantil e estudando sobre. Por esse motivo sinto uma necessidade muito grande de passar esta vivência para professores e coordenadores de educação infantil.

Valorizar a educação infantil, bem como seus professores, auxiliares e coordenadores se faz necessário, pois a fase mais importante   para adquirir habilidades está na educação infantil.

Muitas escolas de educação infantil acabam por focar suas propostas pedagógicas na alfabetização. Já ouvi muitos diretores e professores dizendo que o aluno sairá daquela instituição lendo e escrevendo. Que bom! Mas e o antes? O que precisamos fazer para que   aquela criança leia e escreva de maneira natural e na fase apropriada? Precisamos de todas as possibilidades de aprendizagem que só a educação infantil oferece. Por exemplo para que a criança segure corretamente o lápis ou a tesoura ela precisará brincar muito com massinha e areia e isso acontece na educação infantil. Para uma criança elaborar seus pensamentos para que possa se expressar oralmente com coerência ela precisará se arriscar na fala, brincando sozinha em voz alta, cantando, elaborando hipóteses, dialogando com seus pares .... E isso acontece somente na educação infantil.

Não basta um lugar apropriado e materiais adequados para educação infantil, existe sim a necessidade de um professor atento a esta fase da criança. Não dá para levar os alunos ao parque e ficar somente olhando com o objetivo de evitar algum acidente. O professor tem que participar, intervir, brincar, fazer de conta, pois tudo isso é permitido na educação infantil.

Na psicopedagogia Institucional, propomos um trabalho justamente com este olhar. O olhar adequado para uma situação necessária. Cabe ao psicopedagogo institucional observar e intervir para que o professor e até mesmo a escola possa rever sua proposta focando o que é essencial para a criança nesta fase, o brincar. O brincar como meio de aprender, socializar, divertir, equilibrar as emoções e muito mais.

Temos que tirar o estigma que a educação infantil é passa tempo. Temos sim é que investir nesta fase tão importante da vida da criança, onde tudo se aprende, onde tudo acontece e principalmente onde se alicerça uma vida inteira.

 

Profª Debora Corigliano

Graduada em Pedagogia, Pós Graduada em Psicopedagogia e cursando Pós Graduação em Neurociência da Educação. Autora do livro: "Orientando Pais, Educando Filhos" pela editora Autores Associados.

Atuou por mais de 20 anos como Coordenadora Pedagógica na rede particular de ensino. Participa diariamente do programa Nossa Gente pela Rádio Brasil, focando a orientação familiar. Professora do curso de Pós Graduação em Psicopedagogia pela IBFE- Instituto Brasileiro de Formação de Educadores.

 

Chat