Desenvolvimento Humano | É hora de feedback! - Por Jaqueline Alves

É hora de feedback! 



Quantos profissionais gostariam de pegar um avião para o Alasca neste momento e só voltar após terminar o período formal de feedback?

Nossa reflexão começa com estas palavras "período formal de feedback". A maioria das empresas pregam dentro da cultura interna que o feedback deve ser contínuo e frequente, que as pessoas não precisam esperar o momento formal para oferecê-lo, mas na prática sabemos que não é isso que acontece.

Aqui começa a se instalar um sentimento de pânico quando o processo de feedback se aproxima. Porque esse "monstro" tomou proporções tão impactantes na vida profissional?

Já mencionamos uma possível razão no início do texto, outra razão pela experiência e observação, pode ser a forma pela qual o feedback é estruturado e como a mensagem chega ao interlocutor.

Como as pessoas se preparam para oferecer e receber feedback também é um ponto primordial.

Porém, mesmo com essas razões que fazem parte do senso comum e com as quais as empresas lutam constantemente para transformar, ainda assim parece que o tema não evolui.

Passa ano e entra ano e ouvimos dos profissionais os problemas e conflitos gerados pelo processo de feedback.

Então me pergunto se o foco deste temor não se deve ao fato de esperar que alguém fale sobre nós, aponte qualidades, mas também dificuldades ou gaps que são nossos e pertencem a nós.

 Como permitir que alguém fale sobre nós, isto traz um incômodo e falta de confiança? Afinal quem melhor para falar sobre nós que nós mesmos?

Talvez se invertêssemos a ordem das coisas; nós mesmos preparássemos nosso feedback e compartilhássemos com pares, gestores, subordinados e clientes que teriam como papel corroborar, agregar ou invalidar a nossa leitura sobre algo?

Será que a Hora do Feedback seria mais suave e efetiva para o alcance das melhorias?

Nos apropriaríamos com maior auto confiança e entendimento do benefício deste exercício para nosso desenvolvimento?

Ainda assim seria um grande desafio expor para terceiros nosso Eu de forma tão transparente!

Vale a pena correr este risco, ao menos tentar? Você aceitaria este desafio?

Desejo que você fique feliz com seu feedback!

Chat