Tive uma ideia | O caminho até a ideia, seus oásis e desertos - por Tadeu Brettas

Tive uma ideia

25 Outubro, 2019

Brainstorming funciona? Existem outras técnicas para geração de ideias?

 

Talvez por ter sido criado nos anos 50, pelo publicitário Alex Osborn, do gigante grupo publicitário BBDO, a famosa "tempestade de ideias" ou brainstorming, seja muito utilizado, no mundo inteiro, por "n" razões diferentes, desconfio inclusive que, às vezes, sem uma boa razão.

Vale lembrar que ao apresentar essa e outras técnicas, considero que você absorveu o conteúdo inicial desse texto, sobre a necessidade de combinar liberdade com repertório. Existem atitudes que comprovadamente facilitam o desenvolvimento da criatividade. Para não dizer que não falei das flores: colocar de lado o seu censor, o "juiz racional", não ter receio de se arriscar e colocar na mesa ideias aparentemente loucas, ser curioso como a mais curiosa das crianças, ser uma "esponja" que olha o mundo com um olhar de estranhamento, sugando tudo de legal e original que existe por aí e principalmente, ter um repertório admirável, que o habilite a realizar conexões surpreendentes.

Feito isso, é o momento de entender que uma vez praticado dentro das regras corretas, o brainstorming tem chance sim de lhe ajudar a colher bons frutos das sessões de "ideation" .

Veja que regras não significam "amarras". É uma questão de organização para que as coisas aconteçam.

Aqui vai:

 



 

Explorando rapidamente (com bom humor)

  •  "Uma conversa por vez": claro, né? Senão ninguém ouve as ideias.
  •  "Sem julgamentos": você não está em um tribunal mas poderá estar se insistir em julgar nesse momento.
  •  "Construa em cima das outras ideias": essa é ótima, basta ter escuta ativa e prestar atenção ao que os colegas estão colocando em vez de ficar pensando em algo que possa ser mais brilhante.
  •  "O que importa é a quantidade": sem dúvida. Produza muitas opções e depois garimpe. Quanto mais cascalho, mais chance de encontrar ouro.
  • "Seja visual": pode desenhar, deixe desenhar, algumas pessoas possuem a inteligência visual e adoram transformar tudo em uma figura. Permita, figura.
  • "Encoraje ideias loucas": assim você terá mais chance de encontrar algo brilhante. Com todo mundo dando ideias razoáveis, é razoável que você sinta vontade de dormir porque a tempestade virou garoa.
  • "Não perca o foco": existe uma razão para vocês estarem ali. Existe né?

 

Perceba que essas orientações se adequam tanto ao brainstorming individual quanto em grupo. Apenas adapte meu caro Darwin.

 

"Não há nada permanente, exceto a mudança" (Heráclito, filósofo grego).

 

Um outro método bem legal, repleto de provocações, que geralmente coloca o grupo em um pique incrível é o "SAMCEA". Em inglês, dado o início das palavras, ele é chamado de "SCAMPER". Mas olha, funciona bem com o nome em português. Veja as possibilidades de estímulos, quando o grupo já produziu algumas ideias que precisam evoluir:

Substitua: que outro lugar? Outra pessoa? Outro nome? Outro material?

Combine: que tal juntar? Combinar ideias? Ligar? Fazer conjuntos?

Adapte: o que mais em lugar disso? Que outra ideia sugere? Como posso adaptar em outra situação?

Aumente: mais? Maior? Mais largo? Mais qualidade??

Arrume: arrumar ou refazer a ordem? Outra sequência? Outro plano?

Modifique: alterar a cor? Som? Sabor? Forma? Movimento??

Coloque outros usos: outras utilidades? Outros lugares? Outros públicos?

Elimine: remover? Omitir? Cortar parte ou o todo? Diminuir? Mais leve?

Arranje: Pôr ao contrário? Cabeça para baixo? Do lado do avesso? De fora para dentro?

Obviamente, cada provocação/estímulo desses deve ser customizado em relação ao tipo de ideia que está sendo gerada, aos recursos materiais disponíveis para o desenvolvimento de protótipos, etc.

Chat